segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Um Sonho

Ainda lembro como se fosse noite passada. A ausência de um rumo, um caminho pra seguir, os punhos atados. O travesseiro estava cheio de lamúria, confissões e corações quebrados. Na verdade era só um coração quebrado... O Meu. O olho fechou com um sono profundo. E quando os abri estava em uma arena. Eu e você. Estavamos separados por uma grade octagonal. Só enchergava seus olhos, o resto era apenas linhas e formas escondidas na penumbra do sonho. O beijo era tão quente e tão seguro.  E olhava para teus olhos e eles brilhavam na mesma intensidade que meu coração acelerava. Você estava indo para uma luta, e antes de ir, trocamos algumas palavras que só eu e você sabemos. Enfim, era um sonho, e assim como uma história do passado ela se acabou quando eu abri meus olhos e vi que estava nascendo um novo dia.
Agora aperte o play e feche os olhos para sentir o que eu estou sentindo enquanto escrevo essas palavras.
---
Na vida real, os sentimentos ficam tão a flor da pele que separá-los em categorias seria um desastre e perca de tempo. Tem gente que leva muito em consideração o que dizem os astros, os sonhos, os números, tem gente que se leva muito a sério, existe pessoas que...sentem. foram necessários para mim cinco anos até a plenitude do amadurecimento, enquanto outras usaram do mesmo tempo para um retrocesso. Talvez porque "seguir em frente" signifique apenas caminhar. Mas o "amadurecer" é uma coisa muito genérica. Englobam-se tantos objetivos, tantos dogmas, envolve tanta gente. Já dizia Shakespeare "Amor quando é amor não definha. E até o final das eras há de aumentar. Mas se o que eu digo for erro. E o meu engano for provado. Então eu nunca terei escrito. Ou nunca ninguém terá amado." As vezes você para e começa a pensar no outro, e começa a rir sozinho, porque a presença dele é tão boa, te faz tão bem que até seu nome é motivo para sorrir. O grande lutador apareceu na vida real vocês acreditam? Pois bem, apareceu. E foi incrível a aproximação inesperada de ambas as partes. Parecia que todo o universo conspirava para uma aproximação. Então sentimentos que não existiam mais, como o suor das mãos, o tremor de pernas e o aceleramento do coração, voltaram. Então começou a grande batalha dele, a cada vitória meus olhos se enchiam da mais pura lágrima de felicidade, de dever cumprido. Ele me faz sentir-se seguro. E aqueles olhos... Os mesmo que me olhavam noites anteriores, realmente brilhavam. Estava ali... Na minha frente. Estava bom, até o dia do bloqueio. Construíram-se muros em volta e ele se isolou. Agora a luta era com ele mesmo. Eu não podia mais ajudar. Ficamos divididos entre passado e futuro divididos pelo sonho, ironizados pelo destino. O herói tinha partido, e sua volta já não era mais certa.
Mas hoje tudo isso acabou, ou pelo menos se fez calmo. O lutador volta com a vitória e minha espera se cala. Nossas experiencias hoje se jutam para tornar algo novo. Nosso horizonte não mais se limita a uma linha intocável, mas sim a um reflexo da alma, onde nada se vê. Apenas se sente!

2 comentários:

Annavelosos disse...

vc escreve lindo...dá ate´pra pseudo apaixonar hahahaha

enfim... adorei o post!

parabéns!
me segue também e curte minha page no facebook!!

fifix2.blogspot.com.br

António Jesus Batalha disse...

Passei e encontrei o seu blog, estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes, mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu.
Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, deixe um comentário, e se desejar fazer parte de meus amigos virtuais, esteja à vontade, irei retribuir.
Mas por favor não se sinta coagido, siga apenas se desejar. Muita paz.
António.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/